Arquivo do blog

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Brasil não aguenta um Governo que entrega tudo aos corruptos






De olho em votações essenciais, Governo nomeia indicado do "Centrão" para o departamento de atenção básica do Ministério da Saúde.

João Salame Neto já foi citado pela Odebrecht por ter pedido 1 milhão e 500 mil reais para a campanha de Helder Barbalho ao governo do Pará, em 2014.

Governo amplia para 159 bilhões de reais as metas fiscais de 2017 e 2018.

Enquanto negocia com o Congresso a aprovação da mudança, o Planalto vai adotar um pacote de medidas para cortar gastos e tentar aumentar a arrecadação

Ministro do Planejamento explica que a revisão era necessária porque “vários órgãos” do governo operam no limite financeiro.

Dyogo Oliveira acredita que agora será possível liberar até 10 bilhões de reais em gastos no orçamento deste ano.

“Governo está literalmente perdido. A recuperação econômica esperada não ocorreu. A situação fiscal é muito grave e o mais fácil é descarregar nas costas daquele que não tem meio de resposta. Vai descarregar no funcionalismo público”, diz Marco Antonio Villa.

Seguidores

Google+ Followers